Endodontia

A endodontia é a especialidade da medicina dentária que se ocupa do estudo e tratamento das afecções da polpa (interior das raízes dos dentes) e tecidos peri-apicais.
O tratamento endodôntico, popularmente conhecido por desvitalização (“tirar e tratar o nervo do dente”), é a solução para a sintomatologia dolorosa provocado pela inflamação, infeção irreversível ou necrose do “nervo do dente” ( a polpa ).

O que é a “desvitalização”?

O tratamento endodôntico é um procedimento complexo. Envolve conhecimento e recurso a tecnologia, radiovisiografia digital e uma multiplicidade de técnicas e materiais por parte do Endodontista para que o resultado se torne previsível e favorável.
A taxa de sucesso em endodontia é alta mas não de 100% pois depende de múltiplos factores: estado de evolução da lesão, grau de destruição do dente, estado geral do doente, etc.
Ainda assim, a Endodontia é o tratamento de recurso antes da extração de um dente que se encontre com uma necrose da polpa ou pulpite irreversível.
A endodontia é aplicada quando existe algum tipo de lesão do nervo provocada por:

– Infeções derivadas de cáries severas que atingem a polpa do dente (“nervo”) de forma irreversível
– Traumatismos severos
– Desgaste dentário severo

O principal objetivo do tratamento endodontico é o de desinfectar o interior do dente e das suas raízes remover a totalidade da polpa infectada ou necrosada, bactérias e conservar o dente, osso, e a gengiva que o envolvem saudáveis, mantendo a sua funcionalidade.
Após a eliminação da polpa (nervo) do interior do dente, procede-se ao preenchimento e selamento do de forma hermética com material terapeutico becteriostatico e estável permitindo assim manter o dente e a sua função.

Quantas consultas são necessárias para finalizar o tratamento?

Depende do tipo de dente e da complexidade da situação. A maioria dos tratamentos são realizados de 1 até três consultas. Alguns casos mais complexos podem necessitar de mais tempo, sobretudo nos casos de retratamento.
Dentes com lesão prévia (infeções, abcessos) terão que ser tratados com medicação própria para que se elimine a infeção antes de realizar o procedimento.

Quanto tempo dura consulta de endodontia?

As consultas podem ser mais longas em relação a outros procedimentos, podendo durar de 30min a 90 minutos. Normalmente o tratamento implica isolamento absoluto do dente com dique de borracha.

O tratamento endodôntico dói?

O tratamento endodôntico é realizado com anestesia local, pelo que não sentirá qualquer dor durante a intervenção.
Após as consultas, em casos raros, alguns pacientes mencionam um período de desconforto durante 2-5 dias, pelo que no caso de ocorrência de sintomatologia dolorosa esta será controlada com toma de analgésicos e anti-inflamatórios.

Há alguma alternativa ao procedimento de “desvitalização”?

Quando a polpa do dente está afetada, só a endodontia poderá recuperar o dente.
A única alternativa à endodontia é a extração do dente.
Com a ajuda dos nossos especialistas encontraremos a melhor solução para si.

Um dente “desvitalizado” fica mais frágil?

Por norma, o dente submetido a este tratamento apresentava uma lesão cariosa extensa resultando numa perda de estrutura dentária. Um dente desvitalizado sofre por isso um enfraquecimento da sua estrutura e terá de ser restaurado e reconstruído.
Na Arcos-Médica dispomos de materiais e equipamentos de última geração para garantir a eficiente reconstrução da estrutura dentária perdida.
Iremos aconselha-lo-á na escolha da melhor opção quer seja uma restauração em resina/compósito directa ou uma restauração indireta (overlay, onlay, inlay ou coroa).

Os dentes “desvitalizados” também doem?

O dente com tratamento endodôntico não deve apresentar sintomatologia dolorosa, no enquanto há situações em que é necessário intervir novamente.
O retratamento endodôntico é realizado quando um tratamento anterior fracassa. Este procedimento consiste na remoção do material obturador antigo, desinfeção dos canais e sua re-instrumentação e por último novo preenchimento hermético dos canais.

O que é o Tratamento Endodôntico Cirúrgico (Apicectomia)?

Por vezes, após o Tratamento e/ou Retratamento Endodôntico prévio podem persistir bactérias na zona exterior da raiz normalmente envolvendo o seu ápice (granuloma peri-apical).
Tal pode ocorrer por diversas razões, como por exemplo variações anatómicas que impossibilitam um tratamento convencional adequado. Resta então a opção cirúrgica: extração e posterior colocação de implante ou a Apicectomia, que possibilita o acesso cirúrgico ao interior do 1/3 apical da raiz através do seu ápex (ponta da raiz), possibilitando o fechamento do canal e assim a cura dos tecidos. Este tratamento ainda assim, não tem taxas de sucesso tão altas como seria desejável.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco