Disfunção Temporomandibular

Já sentiu o seu maxilar a estalar com alguma frequência? Já teve dificuldade a fechar a boca depois de um bocejo? Já sentiu dores no rosto? E dores de cabeça que não passam com medicação? Ou pelo menos conhece alguém que se insere nestas situações?
Em caso de suspeita de DTM, o mais indicado é marcar consulta com o seu dentista especialista. A disfunção a longo prazo pode ter consequências graves algumas relacionadas com doenças degenerativas articulares e ósseas.

O que é a Disfunção Temporomandibular (DTM)?

Antes de esclarecer o que é Disfunção Temporomandibular (DTM) é fundamental saber o que é a Articulação Temporomandibular (ATM).

É a única articulação móvel da cabeça, liga o maxilar inferior (mandíbula) ao crânio (através do osso temporal). Localiza-se à frente do ouvido. Esta articulação complexa é responsável por todos os movimentos da boca, como comer, falar, mastigar e bocejar.

A DTM é definida por distúrbios ao funcionamento do complexo sistema de músculos mastigatórios, a ATM e estruturas ósseas associadas.

Quais são as causas da DTM?

A origem desta disfunção é multifatorial, ou seja, o seu aparecimento é devido a um ou mais fatores.
Alguns dos fatores relacionados com desenvolvimento de disfunções na ATM:

– Stress;
– Traumatismo da mandíbula;
– Patologia articular (por exemplo, artrite);
– Problemas oclusais (relação dos maxilares);
– Tensão muscular;
– Hábitos parafuncionais como: ranger (bruxismo) ou apertar os dentes, morder os lábios ou bochechas, como apoiar a mandíbula nas mãos, morder pontas de caneta e roer as unhas;
– Distúrbios do sono e dificuldade de dormir;
– Ansiedade e depressão.

Qual o diagnóstico da DTM?

O diagnóstico inicial da disfunção da ATM baseia-se na recolha de dados clínicos e pessoais do paciente. É fundamental o paciente responder completamente à história clínica. Para além disso, o paciente é submetido a uma avaliação clínica extensa composta por palpação muscular e articular, avaliação dos movimentos de abertura e fecho e exame clínico à cavidade oral.
O diagnóstico clínico é importante que seja auxiliado pelos exames complementares de diagnóstico, como tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassom.

Sintomas da DTM?

A DTM pode afetar a própria articulação – isto é, a ATM – ou então os músculos da face, cabeça e pescoço.
Os sintomas podem incluir:
– Dor ou desconforto na face ou na articulação (ATM);
– Limitação da abertura da boca;
– Ressalto, bloqueio ou desvio da mandíbula a abrir ou fechar a boca;
– Dores de cabeça (cefaleias ou enxaquecas);
– Ruídos na articulação;
– Cansaço na face, principalmente ao acordar ou no fim das refeições;

Qual o tratamento para a DTM?

Devido à variedade de possíveis causas da disfunção, existem várias abordagens para diminuir os sintomas dolorosos. A DTM não tem cura, mas existem vários tratamentos focados na sintomatologia dolorosa para que o paciente consiga ter a máxima qualidade de vida possível. O processo terapêutico tem que ter uma abordagem multidisciplinar.
Os tratamentos para os transtornos na ATM incluem:
– Fisioterapia;
– Cirurgia;
– Acompanhamento psicológico;
– Exercícios para relaxamento muscular;
– Terapia de comportamento;
– Goteiras oclusais;
– Psicoterapia;
– Fármacos.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam.

Pedro Franco